Portal da Cidade Umuarama

Comemoração

‘Rock Solidário’ marca os quatro anos da Faísca no próximo sábado

Apresentam-se em shows gratuitos as bandas Ritmo Brazuca, Terremotor, Emergencial e Monotonicos

Postado em 31/07/2019 às 10:50 |

Faísca é hoje ponto de encontro de artistas e outros empreendedores de Umuarama e região (Foto: Cogito Coletivo)

Neste sábado, dia 03, a Feira Agroecológica de Inclusão Social, Cultura e Artes, a conhecida Faísca, completa quatro anos, e para comemorar a data, a organização da Feira irá realizar o ‘Rock Solidário’.

Apresentam-se em shows gratuitos no ‘Rock Solidário’ as bandas Ritmo Brazuca, Terremotor, Emergencial e Monotonicos e todos estão convidados a participar da festa comemorativa que está marcada para começar às 17h.

Solidariedade

O público que irá prestigiar o evento está sendo incentivado pelos organizadores a levar um quilo de alimento não perecível, artigos de higiene ou material de limpeza, que serão doados para o Lar São Vicente de Paulo.

Importante ressaltar que a festa preparada para a Faísca contará com uma praça de alimentação que oferecerá chope e hambúrguer artesanais. Porém, a Feira também comercializará, como é tradição, produtos agroecológicos.

A Faísca

Criada em 2015 com o objetivo de ofertar alimentos saudáveis, a Feira Agroecológica de Inclusão Social, Cultura e Artes, é hoje ponto de encontro de artistas e outros empreendedores de Umuarama e região.

A Faísca é fruto de um projeto da Incubadora de Empreendimentos Econômicos Solidários da Universidade Estadual de Maringá (UEM), vinculada ao Departamento de Ciências Agrárias, do campus da Capital da Amizade. A iniciativa reúne, num mesmo espaço público, dança, música, artesanato e produtos agroecológicos.

Geração de trabalho e renda

A Feira Faísca nasceu com a finalidade de gerar trabalho e renda para os agricultores atendidos pelos projetos agroecológicos dos cursos de agrárias da UEM, mas atualmente representa muito mais do que isso, destaca o professor Max Emerson Rickli, idealizador da Feira.

“Os produtores atendidos pela universidade reconhecem que a Faísca fecha o ciclo de produção e de distribuição dos alimentos que são cultivados e beneficiados por eles. Por outro lado, a feira é uma opção para os consumidores que procuram alimentos livres de agrotóxico”, explicou o professor.

Segurança alimentar

Agricultores interessados em participar da feira não precisam pagar nada. No entanto, é preciso produzir os produtos que pretende vender e seguir os preceitos da economia solidária, que se preocupa com a segurança alimentar, isto é, em oferecer comida saudável; preservação do meio ambiente no processo produtivo e garantia de qualidade de vida para quem produz e quem consome o produto.

Competências regionais

Além de incentivar a produção e comercialização de alimentos saudáveis, a Feira Faísca promove a venda de outros produtos produzidos nas propriedades rurais da região, como é caso do artesanato. Ele é uma possibilidade de mostrar as capacidades e competência da região. O artesanato também é considerado um produto socialmente justo e ecologicamente correto.

Thiago Alexandre Uliana / representante dos expositores

Cultura e renda

Ainda tem muita gente que não conhece a Feira e sua importância, ela gera renda para o agricultor familiar, sem atravessadores, e prestigia a arte regional. Muitos artistas locais passaram a ser reconhecidos a partir de apresentações na Faísca. Eles tiveram um espaço para divulgação de seus talentos e o público pôde ver gratuitamente. Por todas essas qualidades, a Feira deve ser abraçada pela comunidade de Umuarama e região

Thiago Alexandre Uliana / representante dos expositores

Fonte:

Deixe seu comentário