Portal da Cidade Umuarama

Boa sorte!

Legado permanece: kombi do Vale Sorte continuará premiando umuaramenses

Selma Alves da Silva continuará o negócio do marido, o Gilson da Kombi do Vale Sorte, que faleceu vítima de câncer

Publicado em 01/12/2022 às 09:21
Atualizado em

Selma Alves da Silva, de 59 anos, agora responsável pela comercialização dos bilhetes do Vale Sorte (Foto: Colaboração/Portal da Cidade Umuarama)

Selma Alves da Silva, de 59 anos, continuará com o legado da kombi do Vale Sorte, estacionada na Avenida Brasil, ao lado do Bradesco. O negócio era comandado pelo companheiro Gilson Moreira Leite, de 59 anos, com quem viveu por 15 anos.

Gilson faleceu no último dia 19 de novembro, vítima de um câncer. Segundo Selma, a doença levou o companheiro, mas não a sorte que ele disponibilizava junto com muita alegria para cada cliente nos oito anos em que comercializou bilhetes de Vale Sorte na famosa Kombi do Vale Sorte.

Sem mover o seu veículo de lugar, Gilson da Kombi do Vale Sorte teve o privilégio de levar mais 50 prêmios para sortudos da Capital da Amizade e região.

Selma Alves da Silva / vendedora / Umuarama

Boa sorte

“Foram ao todo 52 prêmios. Era algo até exagerado, junto com cada bilhete iam depositadas as esperanças de que seus clientes fossem os ganhadores, acho que isso, essa positividade, gentileza, garantiu tantos premiados”.

Selma Alves da Silva / vendedora / Umuarama

Garantindo que o legado de Gilson se manterá, hoje, quinta-feira (1), lá estava Selma debaixo do escaldante sol umuaramense prometendo para a reportagem, que continuará a venda do Vale Sorte na mesma Kombi que conferiu uma identidade especial para o ponto que mais vende bilhetes em Umuarama e região. Ah, é não podemos esquecer, que mais premia.

E não se preocupe, é verdade que quem escreve a reportagem tem que ser imparcial, mas vamos enaltecer que se depender dos mesmos atributos que garantiram toda a sorte para os clientes de Gilson, a premiação deve continuar e até aumentar. Selma é de sorriso, alegria e afeto cativantes, qualidades natas de quem tem o coração leve e deseja a felicidade alheia.

“Enquanto alguém não me tirar daqui continuarei com a venda dos bilhetes do Vale Sorte. É minha renda de vida, meu trabalho, onde por tantos anos passei com Gilson e o mais importante: com a possibilidade de melhorar a vida de pessoas, muitas que precisavam dos prêmios”, se despediu, do Portal da Cidade Umuarama, rumo a mais uma venda.

Fonte:

Receba as notícias de Umuarama no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário