Portal da Cidade Umuarama

Unipar

Inscrições abertas para pós-graduação em Biotecnologia Aplicada à Agricultura

O prazo de inscrição segue até o final deste mês e são, neste ano, 26 vagas – 16 no mestrado e 10 no doutorado

Postado em 10/02/2020 às 08:34 |

Turma de mestrandos e doutorandos no laboratório de biotecnologia da Unipar (Foto: Unipar)

Aos profissionais que estão em busca de crescer na carreira profissional, a Universidade Paranaense oferece excelentes opções em cursos de pós-graduação; são mais de cem, distribuídos em todas as áreas do conhecimento. Na modalidade stricto sensu, o programa de mestrado e doutorado em Biotecnologia Aplicada à Agricultura é uma das opções [as demais são na área de Direito, Ciência Animal e Plantas Medicinais], que atrai atenção pela excelente qualidade do seu projeto pedagógico, da sua infraestrutura laboratorial e do corpo docente.

O prazo de inscrição segue até o final deste mês. São, neste ano, 26 vagas – 16 no mestrado e 10 no doutorado. As aulas e atividades de pesquisa se concentram no Câmpus-Sede da Unipar, em Umuarama. Em sua bem-sucedida trajetória de 14 anos investindo na produção de novos conhecimentos científicos, o programa já diplomou 109 mestres e 12 doutores [o doutorado tem seis anos]. Recomendado pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) com conceito ‘muito bom’ [4, na escala de 0 a 5 do Ministério da Educação], o programa tem por objetivo formar professores e pesquisadores e capacitar profissionais para atuar na cadeia produtiva agrícola e agroindustrial.

“A base dos nossos estudos é a biotecnologia, com uso de biomoléculas, manipulação DNA e cultivo de micro-organismos e plantas”, explica o coordenador, professor Nelson Colauto. Segundo ele, o conhecimento em biotecnologia é fundamental para o entendimento dos avanços básicos da ciência. [No site da Unipar estão todas as informações detalhadas.]

Linhas de pesquisa

O programa de mestrado e doutorado em Biotecnologia aplicada à Agricultura da Unipar segue três linhas de pesquisa: Biotecnologia aplicada à microbiologia agrícola; Biotecnologia aplicada ao melhoramento vegetal; e Desenvolvimento de produtos e processos e caracterização e preservação de material biológico na biotecnologia agrária. O corpo docente é formado por doutores e pós-doutores em agronomia, biologia celular, engenharia química, genética e ecologia; muitos têm no currículo experiência internacional [em países da Europa, Ásia e América do Norte].

Fonte:

Deixe seu comentário

Mais Lidas