Portal da Cidade Umuarama

Luto

Gabriela Botter, advogada que tratava câncer, morre em Umuarama

Gabriela Botter Mariano Souza morreu no início da tarde desta quinta-feira (26), aos 26 anos

Postado em 26/11/2020 às 13:47 |

No fim de 2019, a advogada Gabriela Botter Mariano Souza descobriu que estava com um melanoma metastático (Foto: Rede social)

Após uma longa batalha contra o câncer, morreu no início da tarde desta quinta-feira (26) em Umuarama, aos 26 anos, a advogada Gabriela Botter Mariano Souza. A confirmação da morte foi feita pela irmã, Rafaela Botter, a amigos, por volta de 12h15.

No fim de 2019, a advogada descobriu que estava com um melanoma metastático – estágio do câncer de pele que se espalhou para outros locais do corpo, como pulmão, fígado, cérebro, osso ou trato gastrintestinal.

A jovem passou pelos tratamentos tradicionais: quimioterapia e radioterapia, mas tais procedimentos não surtiram efeitos e a esperança passou a ser os medicamentos imunoterápicos – que em vez de terem como alvo direto o tumor, potencializam a resposta imunológica do próprio paciente contra o câncer.

Por meio de uma ação judicial, a jovem conseguiu obter o custeio de seu tratamento pelo serviço público de saúde, e já no começo deste ano, ela gravou um emocionante vídeo para agradecer o apoio, ajuda e as boas energias de toda a comunidade de Umuarama e região.

Na ocasião, o pai da jovem, Adalto Mariano, fez questão de enfatizar que a campanha on-line tinha sido encerrada e a quantia arrecadada foi utilizada para a compra dos primeiros medicamentos utilizados pela filha daquela nova fase do tratamento. Porém, infelizmente no meio do ano a doença havia retornado e uma nova vakinha on-line estava sendo realizada.

“Inicialmente realizei um tratamento com um combo de medicamentos caros (terapia alvo), os quais consegui na Justiça, que foi excelente no começo, porém, parei de responder àquele tratamento e novas metástases apareceram”, lamentou a advogada, em entrevista realizado ao Portal da Cidade Umuarama.

A esperança passou a ser o munoterápico chamado Pembrolizumabe, 200mg. O custo aproximado desse medicamento é de R$ 34.500,00 (a cada 21 dias), que foi solicitado via ação judicial. Até uma vakinha também foi organizada para compra do medicamento, mas infelizmente, o tratamento não pode ser aplicado a tempo em sua totalidade.

A família não divulgou detalhes sobre o velório e sepultamento de Gabriela Botter Mariano Souza, além de outras informações sobre a sua morte. Amigos lamentam o falecimento nas redes sociais.

Fonte:

Receba as notícias de Umuarama no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário