Portal da Cidade Umuarama

Pandemia

Defensoria Pública reforça pedido de fechamento do comércio de Umuarama

A Defensoria Pública do Paraná destaca que Umuarama vem enfrentando uma segunda onda de contaminação pela covid-19

Postado em 13/11/2020 às 12:08

No agravo de instrumento, foram anexadas fotos que mostram grandes aglomerações de pessoas em bares da cidade (Foto: Portal da Cidade Umuarama)

A Defensoria Pública do Paraná protocolou um agravo de instrumento, nesta quinta-feira (12), a um processo que é analisado pelo Tribunal de Justiça do Estado e que pede o fechamento do comércio de Umuarama por causa do aumento dos casos do novo coronavírus (covid-19).

Na alegação, a Defensoria Pública do Paraná destaca que desde o dia 05 de novembro de 2020 a cidade de Umuarama vem enfrentando, ao que parece, pelos números informados nos boletins diários anexados ao processo jurídico, uma segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus.

No agravo de instrumento, foram anexadas fotos que mostram grandes aglomerações de pessoas em bares da cidade. “O aumento de casos é significativo e a causa desta majoração está na abertura indiscriminada de bares e restaurantes, que tem ficado lotados no município, sendo certo que o uso da máscara caiu em desuso”, destaca trecho do pedido.

Em outro trecho do agravo de instrumento, a Defensoria Pública do Paraná faz comparativo com base nos boletins diários. “A título de comparação, no mês de outubro inteiro foram registrados 164 casos (média de 5,3 por dia), enquanto que somente até o dia 12 de novembro já foram registrados 211 casos (média de 23,4 por dia). Só no dia 12, dia do recorde de casos, foram 68 pessoas contaminadas com o vírus”.

O pedido também é enaltecido com dados técnicos de institutos de estatísticas e reportagens que alertam para o crescimento da doença em todo do mundo no último mês. “Nesse sentido, além dos documentos já juntados ao longo deste processo, com esses novos dados é possível verificar que a cidade de Umuarama-PR ainda não está preparada para a retomada das atividades não essenciais”, contempla o agravo de instrumento.

Também nesta quinta-feira, o Centro de Operações de Enfrentamento à covid-19 (COE Municipal) teve reunião ordinária na tarde desta quinta-feira (12) no anfiteatro da Prefeitura, para avaliar o quadro atual da pandemia em Umuarama e as ações desenvolvidas atualmente para conter o avanço do contágio entre a população.

O foco central foi a necessidade de remanejamento de leitos da região Macronoroeste para Umuarama, onde a ocupação de enfermarias atingiu 100% há alguns dias, e também a necessidade de reforçar as medidas preventivas junto à população – que é a forma mais eficiente de conter o avanço do coronavírus.

O COE reforçou que no momento não existe a intenção de restringir nenhuma atividade econômica, porém é fundamental que a população retome as medidas preventivas – como uso da máscara, que é obrigatório em locais públicos; evitar aglomerações; manter distanciamento social e espaço em filas; higienização constante das mãos; etiqueta respiratória e o cuidado com objetos de uso pessoal. De acordo com o COE, informações sobre fechamento do comércio neste momento não passam de notícias falsas (fakenews) para desinformar ou até assustar a população e não devem ser passadas adiante.

Fonte:

Receba as notícias de Umuarama no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário