Portal da Cidade Umuarama

Liraa

Chega a 84 os casos de dengue confirmados em Umuarama

Na região a situação mais crítica é em Cianorte, que enfrenta epidemia com quase 450 casos confirmados

Postado em 20/05/2019 às 08:35 |

Os casos confirmados de dengue aumentaram 14% no Paraná, em uma semana, conforme o balanço divulgado pela Secretaria de Saúde no último dia 14 (Foto: Tiago Boeing)

O Índice de Infestação Predial (IIP) por larvas do mosquito da dengue recuou em Umuarama de acordo com o Levantamento de Índice Rápido para Infestação de Aedes aegypti (Liraa) concluído pelo Serviço de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde na última sexta-feira, 17. Nas visitas domiciliares realizadas entre os dias 13 e 17 deste mês, o índice médio caiu para 2% – havia atingido 3,4% no levantamento anterior, entre os dias 11 a 15 de março.

Entre 1% e 3,9%, o IIP é considerado de risco médio, mas o ideal é até 1%. Dentre as 62 localidades em que a cidade é dividida para a fiscalização, 36 apresentaram índice zero de infestação – nestes locais não foram encontradas larvas do mosquito transmissor da dengue, zica vírus e febre chikungunya.

Porém, as outras 26 regiões acusaram infestação e em algumas delas o IIP ficou bastante elevado. Os maiores índices (acima de 10%) foram registradas no Jardim Colibri, na área da Escola Vinícius de Moraes, no Jardim Petrópolis e próximo da Escola Manuel da Nóbrega. Em 17 localidades o índice ficou entre 3% e 8,3%.

Em regiões que haviam apresentado maior presença do mosquito no levantamento anterior, como o Sonho Meu, a situação foi controlada com o trabalho das equipes da Vigilância Ambiental, empenho de parceiros e conscientização da população. “Mas enquanto o município melhora a situação nos bairros mais graves, em outros a população relaxa nos cuidados e índice aumenta no Liraa seguinte. Não podemos baixar a guarda no combate à dengue, porque o número de casos aumentou bastante. Temos de manter o foco e o cuidado com nossas casas e quintais”, orientou a secretária municipal da Saúde, Cecília Cividini.

Muitos moradores parecem não dar importância para a presença do mosquito em suas residências. “Eles se esquecem que a dengue mata. A Secretaria de Saúde do Paraná já registrou 13 mortes por dengue nesse ano”, alertou a secretária. Nos últimos dias foram confirmadas mais três mortes causadas por dengue no boletim epidemiológico divulgado dia 14 – duas em Loanda (uma mulher de 51 anos e um homem de 65 anos) e a outra em Londrina (um homem de 71 anos). Os 10 casos anteriores aconteceram em Londrina (5 mortes), Cascavel (3) e Maringá (2).

Embora a situação ainda esteja longe de uma epidemia, em Umuarama, graças a uma série de ações desenvolvidas pelo município – como o Bairro Saudável, que recolheu 441 toneladas de materiais inservíveis (móveis, colchões, eletrodomésticos, brinquedos, vasos sanitários, pias, estrados e recipientes recicláveis que acumulam água, como baldes, bacias velhas, panelas e outros utensílios) – os casos confirmados de dengue aumentaram 14% no Paraná, em uma semana, conforme o balanço divulgado pela Secretaria de Saúde no último dia 14.

Ao todo, o Estado já tem confirmados 6.772 casos de dengue. Na região a situação mais crítica é em Cianorte, que enfrenta epidemia com quase 450 casos confirmados. Em Umuarama a Secretaria de Saúde tem confirmados 84 casos.

Fonte:

Deixe seu comentário