Portal da Cidade Umuarama

Poder Paralelo

Núcleo do PCC em Umuarama é desmantelado pela Polícia Civil

As investigações que culminaram na operação tiveram início há quatro meses após um homicídio registrado na zona rural da cidade

Postado em 24/06/2019 às 14:45 |

Três pessoas foram presas em Umuarama e os outros mandados foram cumpridos em relação a pessoas que já estavam detidas (Foto: Polícia Civil)

A Polícia Civil de Umuarama deflagrou nesta segunda-feira (24) a operação ‘Poder Paralelo’. Ao todo foram cumpridos oito mandados de prisão contra integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Um dos criminosos presos estava foragido da Justiça e possuía em seu desfavor dois mandados de prisão pela prática de crimes de homicídio.

As investigações que culminaram na operação tiveram início há quatro meses após um homicídio. O crime ocorreu no dia 06 de fevereiro, por volta das 23h, na Estrada Pavão, em Umuarama. A Polícia Civil aponta que a esposa da vítima descobriu que o marido teria estuprado a filha do casal. “Diante disso, ela levou o caso ao conhecimento do PCC, que, por sua vez, decidiu executar o homem pela suposta prática do estupro”, disse o delegado Gabriel Menezes.

Um dos líderes do PCC no Estado do Paraná, atualmente preso na Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste (Peco), orquestrou a ação de dentro do presídio, arregimentando e coordenando os membros da facção que se encontravam em liberdade. Toda a ação criminosa foi previamente planejada e contou com apoio logístico de faccionados residentes em Umuarama, Cruzeiro do Oeste, Cianorte e Jesuítas. Ao todo, cinco membros do Primeiro Comando da Capital participaram do crime.

Ainda de acordo com o delegado, três pessoas foram presas em Umuarama e os outros mandados foram cumpridos em relação a pessoas que já estavam presas, sendo dois na Peco, um na cadeia pública de Cianorte e outro em Jesuítas. “Os nomes não serão divulgados para preservar a identidade da criança, supostamente vítima de abuso sexual”, complementou o delegado.


Fonte:

Deixe seu comentário