Portal da Cidade Umuarama

Vulnerável

Idoso acusado de estuprar várias crianças é procurado na região de Umuarama

Idoso é acusado de praticar atos libidinosos em meninas com idade entre 5 e 11 anos

Postado em 11/09/2018 às 15:10 |

Natal de Jesus Sigoli, de 67 anos, é procurado pela Justiça (Foto: Reprodução/Rede Social)

Um idoso, condenado a mais de 34 anos de prisão, é procurado pela Justiça acusado de estupro de vulnerável. Natal de Jesus Sigoli, de 67 anos, é acusado de praticar atos libidinosos em meninas com idade entre 5 e 11 anos. Os abusos aconteceram entre 2012 e 2017, na região de Sarandi.

Foi a mãe de uma das vítimas que procurou a equipe do Portal da Cidade Umuarama para denunciar a situação. Segundo ela, os abusos com a filha aconteceram por cerca de  5 anos. “Ele abusou da minha filha dos 5 aos 9 anos dela. E para ela não contar, ele ameaçava matar o meu filho pequeno, fazendo com ela não contasse para gente o que tinha acontecido”.

Assim que a família soube do abuso, procurou a polícia. Quando saiu a primeira condenação, o idoso fugiu de Sarandi para Altônia. No ano passado Sigoli chegou a ser detido, na cidade. Após 21 dias detido, a defesa conseguiu, na época, um habeas corpus. Os advogados tentaram então recorrer da condenação da justiça, mas o pedido foi negado em todas as instâncias.

Um novo mandado de prisão foi expedido no dia 27 de agosto deste ano. Familiares das vítimas acreditam que o idoso possa estar escondido na região de Umuarama e Altônia. Já que após as denúncias dos crimes ele fugiu para a região Noroeste.

Sobre os abusos

O acusado atraia as vítimas com doces e as levava para a sua própria residência – ele morava com a esposa adoentada. Dentro de casa ele apalpava as meninas, as beijava e mostrava seu órgão genital para elas.

No ano passado, ele foi detido na cidade de Altônia, chegou a ficar mais de 20 dias preso, mas foi solto em seguida. A defesa entrou com recursos contra a condenação, porém, todos os pedidos foram negados. 

Buscas na região

O Portal da Cidade Umuarama procurou a Polícia Militar de Umuarama, para saber o que pode ser feito nesse caso. O capitão William Silveira informou que as equipes policiais, que pertencem ao 25º Batalhão, serão informadas sobre o procurado da Justiça.

Fonte:

Deixe seu comentário