Portal da Cidade Umuarama

Justiça

Delegado de Altônia é condenado por envolvimento no “jogo do bicho”, diz MPPR

Conforme a denúncia, vários contraventores que gerenciavam bancas de “jogo do bicho” teriam pago “propinas” para o delegado da Polícia Civil

Publicado em 17/01/2022 às 18:03
Atualizado em

Além da delegacia de Altônia, Reginaldo Caetano acumula a chefia das delegacias de Pérola e Icaraíma (Foto: Colaboração ao Portal da Cidade Umuarama)

O Ministério Público do Paraná (MPPR) divulgou nesta segunda-feira (17) que o delegado Reginaldo Caetano, da delegacia da Polícia Civil em Altônia (a 84 quilômetros de Umuarama), foi condenado pela Justiça pelo envolvimento com o “jogo do bicho”.

A denúncia é decorrente da Operação Barão de Drummond, que apurou crimes ligados à exploração de jogos ilegais em 2017 e foi apresentada pela 12ª Promotoria de Justiça.

Ainda conforme o MPPR, outras dez pessoas que assim como o delgado foram denunciadas à 4ª Vara Criminal de Maringá, também receberam condenação pelo mesmo crime, entre elas, há um policial civil e um servidor municipal.

Conforme a denúncia, vários contraventores que gerenciavam bancas de “jogo do bicho” teriam pago “propinas” mensais para o delegado, policial civil e servidor municipal para não serem incomodados no exercício da atividade ilegal.

Os três agentes públicos foram condenados à perda de suas funções. As demais penas dos réus variaram de três anos, um mês e dez dias a até quatro anos, um mês e dez dias de reclusão, além do pagamento de 32 a 95 dias-multa.

No caso do delegado, segundo decisão da Justiça, ele foi condenado à pena de pouco mais de três anos em regime semiaberto. O delegado não foi encontrado pela reportagem para responder sobre a condenação, mas o espaço segue aberto.

Segundo Osnildo Carneiro Lemes, delegado-chefe da 7ª Subdivisão Policial de Umuarama, responsável pelas delegacias da região, incluindo Altônia, a sentença está nos autos, mas ainda não foi publicada. “Ele vai recorrer da condenação, porém, também pretende solicitar sua aposentadoria”, disse o delegado-chefe.

Déficit de servidores – Além da delegacia de Altônia, Reginaldo Caetano acumula a chefia das delegacias de Pérola e Icaraíma. Em caso de afastamento, o substituto seria o delegado Thiago Soares, da delegacia de Iporã, mas ele se encontra na Operação Verão.

A Polícia Civil do Paraná emitiu uma nota sobre o caso: “A Polícia Civil do Paraná conduz processo administrativo sobre este caso. A PCPR não coaduna com desvios de conduta de servidores, portanto toda e qualquer suspeita é rigorosamente apurada e punida. A instituição ainda não foi comunicada oficialmente acerca da decisão judicial.

Fonte:

Receba as notícias de Umuarama no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Outras notícias