Portal da Cidade Umuarama

orientação

Abusos emocionais na infância têm efeitos devastadores, alerta psicoterapeuta

De acordo com a especialista Mary Segatti, crianças que sofrem negligência emocional podem se tornar adultos inseguros

Postado em 04/12/2019 às 14:56 |

Mary Segatti atua como psicóloga, atendendo crianças, jovens e adultos; agende uma avaliação (Foto: Kauana Siqueira/Portal da Cidade Umuarama)

Um estudo da Faculdade de Biociência da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (RS) mostra que basta um pouco de abuso emocional em casa durante a infância (ofensas, humilhações) para que indivíduo deixe de se sentir saudável. Segundo a pesquisa, as chances de tentativa de suicídio aumentam 17 vezes quando esse tipo de abuso ocorre em nível grave, o que acontece em cerca de 15% da população. 

Além do abuso, a negligência emocional (falta de carinho, de amor, valorização) também pode ter efeitos devastadores. 

O que realmente marca as pessoas de forma negativa é o abuso emocional, ofensas, humilhações, a falta de carinho, de apoio, de se sentir amado. 

Os pais são as primeiras referências na vida dos filhos. E quando eles se utilizam de ofensas, humilhações para castigá-los ou rotulá-los, isso se torna uma grande armadilha, na qual a criança cresce acreditando que tudo é verdade. 

A criança que sofre abuso emocional na infância, recebe um bombardeio em sua auto estima, vai minando a sua auto imagem. Ela passa a acreditar que possui todos esses rótulos e adquire sentimentos de culpa por não conseguir suprir as expectativas dos pais. 

Como identificar um abuso emocional 

Desprezar as capacidades e as conquistas da criança 

Praticar bullying, ameaças ou assustar a criança

Causar-lhe sofrimento mental, tais como: ameaças de abandono ou uso de medo para coação

Abuso físico

Violência física

Violência sexual

Negligência ou abandono

O ambiente em que a criança vive a primeira infância é de total importância para um desenvolvimento emocional saudável. 

Consequências 

As crianças que crescem sofrendo abuso emocional, não são reconhecidas em suas próprias necessidades e desejos. Se tornam adultos inseguros, com medo do abandono, da rejeição, de serem ridicularizados, de não serem competentes, com maior chance de se envolverem em relacionamentos tóxicos, baixa autoestima, sentimento de vazio, entre outros. 

O auxílio terapêutico poderá entrar como aliado para o resgate dessa auto imagem, ajudando no auto conhecimento. 

O salto maior, ocorre quando se percebem adultos completos em si mesmos, donos de suas próprias histórias, caminhos, desejos e escolhas. 

Clique para iniciar uma conversa via WhatsApp e agendar sua avaliação

Mary Segatti 

Psicóloga - CRP 08/08979
Atua com avaliação psicológica, acompanhamento psicoterapêutico em crianças, adolescentes e adultos, ludoterapia infantil e orientação vocacional. 
Pç. Hênio Romagnoli, 3800 - Ed. Centro Comercial – Sala 103
(44) 99916 5930 
Instagram | Facebook | WhatsApp


Qual sua especialidade?    

Publique seu conteúdo aqui na editoria Papo de Especialista do Portal da Cidade.
Ligue (44) 3056-5231 ou fale conosco pelo WhatsApp (44) 99910-0138 


Todas as informações e opiniões contidas neste artigo, seja em texto ou em vídeo, são de total responsabilidade de seus autores e não expressam, necessariamente, as posições do Portal da Cidade. 

Fonte:

Deixe seu comentário

Mais Lidas