Portal da Cidade Umuarama

EVENTOS

Empresários do setor de eventos reivindicam reavaliação de medidas preventivas

Grupo se reúne nesta quinta-feira (15). Eles cobram uma nova posição do poder público municipal para a realização de festas em Umuarama

Postado em 14/10/2020 às 16:50 |

Durante a pandemia, fornecedores se reuniram para buscar soluções e superar a crise econômica no segmento (Foto: Divulgação)

Empresários do setor de eventos de Umuarama irão se reunir nesta quinta-feira (15) em uma manifestação que reivindica a reavaliação das medidas para a realização de festas no município.

O grupo estará às 7h30 em frente à prefeitura e sairá em carreata pela Avenida Paraná. De acordo com os organizadores da carreata, o setor é dos que mais sofreu com os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus. “Ficamos sem trabalhar desde o dia 15 de março, até o final de agosto, quando tivemos o decreto que regulamentou a realização das festas para até 80 convidados”, explica comunicado do grupo.

Durante as reuniões com o Centro de Operações de Enfrentamento à Covid-19 (COE) Municipal ficou acordado que reavaliações seriam feitas quinzenalmente para uma retomada gradual do setor. "É importante ressaltar que entendemos que a liberação não deve ser feita do dia para a noite. 95% das festas já foram adiadas para 2021, por isso, buscamos uma abertura gradativa das medidas para que não tenhamos que nos deparar novamente com adiamentos e cancelamentos desses mesmos eventos", pontuam.

Prejuízo

Segundo uma pesquisa feita pelo grupo de empresários, o prejuízo financeiro direto passa dos R$ 5 milhões (de março a julho). “Provavelmente o valor é ainda maior, pois nem todos fornecedores de Umuarama conseguiram responder a pesquisa. Se considerarmos um total de 151 eventos adiados ou cancelados, temos uma média de R$33.760,73 por evento, quando, na verdade, sabe-se que mais de 70% das festas de casamento atingem um valor bem maior, algumas passando tranquilamente dos R$ 100 mil”, detalha Marquinhos Dutra, empresário do setor e integrante do grupo. O principal dado questionado  pelos empresários é a redução na média de número de casos diários na cidade, que recentemente chegou a desativar leitos de UTI destinados a pacientes com covid-19.

O grupo relata que além de contratos sendo cancelados, muitos clientes estão optando por realizar a festa em outras cidades onde o número permitido de convidados é maior. “Cidades da região, que por vezes possuem um quadro de casos de coronavírus maior do que o nosso, já permitem eventos com até 200 convidados, o que motiva o cliente a mudar o local da festa e cancelar o contrato com fornecedores de Umuarama, fazendo com que nosso comércio, nossa economia, também saia em desvantagem”.

Após a manifestação o grupo espera uma nova reunião para reavaliação de normas que permitem a realização dos eventos.

DJ Marquinhos Dutra / Empresário do setor de eventos

Contratos cancelados

Com as medidas e exigências atuais muitos contratantes desistem. Além da restrição no número de convidados, também não é permitida a realização de eventos após às 22h e a participação de pessoas acima de 60 também é proibida. É muito difícil que seja atrativo assinar um contrato nessas condições, por isso gostaríamos de um novo posicionamento do poder público.

DJ Marquinhos Dutra / Empresário do setor de eventos

Empresas do setor integrantes do grupo

  • Amazing Day - Assessoria de Eventos
  • Auder Cantares Assessoria e Cerimonial
  • Begotti Casa de Festa
  • Beta Ranzani
  • Black Rigor
  • Buffet Kaskata
  • Casa Rosada
  • Celebre Assessoria em Eventos
  • Chique na medida
  • DJ Robson Marimoto
  • Espaço Kids - Hora da Bagunça
  • Hotel e Centro de Eventos Caiuá
  • Leo e Duda
  • Lyon a Casa de Eventos
  • Mania Kids
  • Marcos Prado
  • Mariana Ranzani
  • Marquinhos Dutra
  • Mega Festa
  • Milena Victor
  • Nayara Hipólito
  • Nilda Santana
  • Patrícia - L'umière Assessoria e Cerimonial
  • Push Pop

O que diz a prefeitura

NOTA DA PREFEITURA

A Secretaria Municipal de Saúde informa que tem discutido com frequência a evolução dos casos em Umuarama, ao lado do Centro de Operações de Enfrentamento à Covid-19 (COE), e que todas as decisões são avaliadas e tomadas em conjunto, de acordo com o cenário da pandemia, a curva de infecção da população, o respeito às medidas preventivas e a utilização da estrutura hospitalar disponível – tem poucos dias que a ocupação de leitos de UTI recuou abaixo de 50%. Embora o número de casos diários tenha sinalizado uma redução, a média móvel de confirmações em Umuarama permanece alta (acima de cinco positivos/dia). Caso a tendência se confirme e a média móvel apresente redução, novas medidas de flexibilização deverão ser adotadas por meio de decreto – incluindo o setor de eventos –, sempre com bastante cautela para não ocasionar uma nova onda de infecção pelo coronavírus.

Fonte:

Receba as notícias de Umuarama no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário