Portal da Cidade Umuarama

Ossada humana

Se confirmada identificação de idoso desaparecido, filha acredita em agressão

Cleuza da Cruz, filha do senhor Manoel Cassemiro da Cruz, reconheceu um porta-moedas do pai. Carteira não foi encontrada

Postado em 20/05/2021 às 22:40 |

Manoel Cassemiro da Cruz, de 72 anos, desapareceu no dia 20 de janeiro de 2020 (Foto: Arquivo familiar)

Uma ossada humana encontrada em uma área de mata próxima à Rua Dom Patrício, Parque Dom Bosco, em Umuarama, na noite desta quarta-feira (19), tem provocada uma grande agonia na família de Manoel Cassemiro da Cruz, de 72 anos, desaparecido desde o início de 2020.

Cleusa da Cruz, filha do idoso, até acredita que a ossada humana encontrada possa ser de seu pai, entretanto, ela tem dúvidas da forma como ele pode ter parado lá, levantando a hipótese de uma agressão provocada pela prática de algum crime, como por exemplo, um roubo.

Acredita em agressão

“Meu pai era muito urbano, estranho ele ter parado lá, onde foi encontrada essa ossada humana, eu estive lá várias vezes, é uma região de muita movimentação de pessoas, tem marcas de fogueira. Acredito que se meu pai estive perdido na região ou até caído machucado, alguém teria visto”, disse Cleusa, em entrevista ao Portal da Cidade Umuarama.

Cleusa reconheceu uma porta-moeda encontrado perto da ossada humana como sendo igual ao que seu pai usava, e que a carteira de Seu Manoel não foi encontrada no local. “O porta-moedas é igual a um que dei para ele e tinha uma moeda antiga que ele sempre carregava. Mas a carteira que ele sempre levava com informações e telefones em caso de emergência, não foi encontrada”, revelou a filha.

Desaparecimento

Seu Manoel desapareceu no dia 20 de janeiro de 2020 após deixar a sua casa, que fica localizada no Jardim Global, em Umuarama. Ele aproveitou que a esposa saiu para colocar o lixo para o recolhimento por volta das 16h e saiu. “Meu pai sempre ia ao mercado comprar pão, dar uma volta no bairro e como foi motorista de ônibus urbano gostava de andar neste tipo de transporte”, revela Cleuza.

Informações precisas indicam que Seu Manoel tomou um ônibus e desceu, por volta das 17h30, no Jardim Dom Bosco. “Ao todo, três pessoas, incluindo o próprio motorista do ônibus, confirmaram que viram o meu pai no [Jardim] Dom Bosco”. A filha também revela que o pai tem alzheimer, crises convulsivas e epiléticas, questões de saúde que devem estar prejudicando seu retorno para casa.

Identificação

A Polícia Civil informou que em casos como este são realizados vários exames que possibilitam a identificação da vítima, tais como exames por imagem, prontuários odontológicos, fotografias de sorriso, aparelhos ortodônticos, prontuários hospitalares. Mas no caso desta ossada humana, o Instituto Médico-Legal do Paraná deverá realizar exames da arcada dentária e de DNA.

Fonte:

Receba as notícias de Umuarama no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Outras notícias